Carregando... aguarde!

Cheiro de carro novo pode causar prejuízos à saúde

2017-01-260CarrosLocadoraSaúdeVeículos

CHEIRO-CARRO-NOVO-1200x848.jpg

Cheiro de carro novo pode causar prejuízos à saúde

2017-01-26 0CarrosLocadoraSaúdeVeículos

Segundo a Abramet, veículos contém vapores de substâncias tóxicas; recomendação é ventilar o automóvel.

CHEIRO CARRO NOVO

De cheirinho de carro novo, muita gente gosta. Mas os médicos alertam que ele pode ser prejudicial à saúde. Conforme a Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), os veículos novos contêm vapores e gases que resultam de produtos nocivos utilizados na fabricação, como tolueno, acetona, estireno, xileno, benzeno entre outros, substâncias irritantes da via respiratória, da pele, da mucosa, do olho, e que podem ter repercussão à distância, algumas até potencialmente cancerígenas.

“É uma composição química de risco para a saúde da gente. As substâncias são liberadas com os vapores, que são essencialmente derivados de petróleo. Toda a cobertura de onde tem os equipamentos de direção, as canaletas do ar condicionado, tudo isso é manipulado na montadora com equipamentos de proteção, para o funcionário não tenha uma doença ocupacional. Mas isso não é avisado para o indivíduo que adquire o veículo”, diz o médico Dirceu Rodrigues Alves Júnior, diretor de Comunicação e do Departamento de Medicina de Tráfego Ocupacional da Abramet.

Segundo ele, as reações dependem do organismo, já que cada pessoa pode ter mais ou menos sensibilidade ao odor. “Temos que considerar fatores inerentes ao indivíduo, como sexo, idade, raça, genéticos, nutricionais, psíquicos e doenças pré-existentes que podem interferir no aparecimento de sinais, sintomas ou doenças”, explica. Conforme o médico, crianças, gestantes e idosos tendem a sofrer mais a ação dessas substâncias químicas.

Dirceu Rodrigues destaca, ainda, que nas regiões mais quentes o efeito pode ser mais perceptível. “Quando o carro está aquecido, a liberação dos vapores é maior. O calor ativa os vapores lá presentes”, explica.

Mas não há motivo para pânico. De acordo com o profissional, basta adotar alguns cuidados ao adquirir o carro zero. A recomendação é que o proprietário do veículo novo abra os vidros e deixe ventilar, inclusive quando o ar condicionado for acionado, para que os vapores saiam do interior do carro. A recomendação também é evitar estacionar o carro ao sol e utilizar proteção no para-brisa, para evitar exposição do painel ao calor. A estimativa é que os vapores dispersam totalmente ao longo de seis meses.

A Abramet afirma que não há dados estatísticos com relação a pessoas que apresentam sinais ou sintomas por inalarem esses vapores dentro do veículo. Segundo o médico, isso ocorre porque dificilmente as reações são relacionadas ao cheiro do carro.

Veja quais são as substâncias que contribuem para o cheiro de carro novo e seus efeitos sobre o organismo:

– Benzeno: carcinogênico, atua sobre o sistema nervoso central, altera a produção de glóbulos brancos, altera a imunidade e hormônios e é teratogênico.
– Acetona: irrita as mucosas e produz efeitos sobre o sistema nervoso central, além de broncoespasmos. Reduz ainda a frequência cardíaca e a temperatura corporal.
– Tolueno, xileno e estireno: alteram o sistema nervoso central, ototóxico, teratogênico (altera o desenvolvimento fetal) deprime sistema nervoso central e periférico, altera a coordenação motora e memória, reduz concentração.

 

Por Natália Pianegonda
Agência CNT de Notícias


Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *.

Este site foi desenvolvido por